segunda-feira, 30 de junho de 2014

Não posso reter os teus traços

Não posso reter os teus traços
Nem as notas de teu tema
Pois tua música se desvanece
Como as vozes do poema
Da paixão, que mais um traço
Foi do azul de minha pena,
E quando eu te vir já será garço
Repique fraco a tua cena
O afastado abraço
oriunda onda a que cerca de aço
Me levarão essas algemas?


Nenhum comentário:

Postar um comentário

NOVOS POEMAS

Novos poemas na passarela na passarela se vai, escorrega, trabalha e cai, tranquiliza, na curva se desenvolve a reta ...